Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2017

No calor da birra!

Hoje é quando o Martim fazia uma birra  e eu pegava nele para o calmar o pai saiu se com "aí que o menino de ouro não pode ser contrariado!".
No momento não liguei por estar num momento de stress e aquilo que eu mais queria era o acalmar e não entrar em discussões.
Cheguei a casa e comecei a pensar naquela infeliz afirmação que lhe saiu da boca para fora e que para mim não tem pés nem cabeça.
Tenho noção que mimo e protejo o Martim de uma maneira demasiado  rígida e empenhada. Mas não é normal? No meu ver ser mãe é isso mesmo ou não?
Sei que às vezes é um pouco de mais mas não consigo nem quero ser de outra forma. E enquanto souber que não o estou a prejudicar serei sempre a mãe galinha que tenho sido.Sei que aquilo foi no calor do momento pois a birra foi das grandes e que tira qualquer um do sério.Mas fiquei magoada e espero que não volte a repetir.

Isto não é fácil!

Do momento em que o Martim entrou na minha vida tudo mudou, umas coisas para melhor outras nem por isso.E sair de casa é uma delas, tornou se cansativo, desgastante e muitas das vezes um verdadeiro pesadelo.Uma ida a um supermercado ou até a casa de um familiar é sinônimo de frustração e de uma tentativa de controle falhada.Poderá ser pela mudança de rotina mas muitas das vezes é mais pela sua dificuldade de comunicação e de socialização. O que o torna birrento e agressivo. Os olhares alheios a mim já me passam ao lado mas ele fica fora de controle cada vez que alguém de fora questiona os seus comportamentos.Por isso as saídas de casa são muito poucas e sempre que se poder evitar melhor. Mas nem sempre é fácil pois as irmãs não são bichos do mato e tem de conviver.Isto de ser mãe de um menino especial não é fácil mas é o melhor desafio do mundo por isso é luta até ao fim.

Quais as dificuldades mais comuns de desenvolvimento da criança com a Síndrome de Asperger?

A dificuldade de interação pessoal é o problema mais difícil no Asperger. Pode haver muita dificuldade de aceitação em grupos, isolamento social e frustração. Um Asperger pode ser visto pelos outros como alguém mimado, arrogante, sincero demais, excêntrico ou com sentido de humor estranho, etc.
Um portador da síndrome não tolera fuga de rotinas, tem dificuldade em diálogos, apresenta restrição de assuntos de interesse, pode ter dificuldade em compreender metáforas e ironias. Por tudo isso é fundamental trabalhar a linguagem, a interação pessoal e o controle dos comportamentos disfuncionais. Ao mesmo tempo precisamos tratar a escola, o ambiente de trabalho, a família e toda a sociedade de modo a reduzir o preconceito e criar mais e mais estratégias de convívio harmonioso entre todos.

Ensino normal ou é aconselhável que os pais procurem uma escola com ensino especializado?

Depende do caso.
De forma geral é aconselhável uma criança com Asperger frequente a escola regular, mas que tenha uma atenção personalizada para desenvolver adequadamente seus talentos específicos e trabalhar suas dificuldades sociais.
Jogar um Asperger dentro de um sistema relativamente cruel de uma escola regular sem assistência é tão ou mais prejudicial do que mantê-lo fora dela.
É fundamental que ocorram algumas adaptações, por exemplo: preferir salas menores e organizadas, professores capacitados a lidar com crianças dentro do espectro autista, ajustes pedagógicos de reforço e motivação para áreas fora da zona de interesse, medidas preventivas educativas contra o bullying e o preconceito, etc.
De modo geral, o convívio é possível e é benéfico para o aluno e para a escola, portanto, deve ser estimulado, respeitando alguns ajustes e limitações.

Autismo!

Alguns cuidados a ter com um Asperger!

Diversos cuidados devem ser tomados. Primeiramente, é fundamental trabalhar os talentos do nosso filho, assim como suas dificuldades. O diagnóstico deve ser o mais precoce possível a fim de delinear uma intervenção em prol da melhor socialização e da funcionalidade. Cada fase da infância, adolescência e vida adulta trará uma série de desafios e serem vencidos.A cada dia, o conhecimento individualizado ajudará a personalizar o tratamento e os ajustes ambientais e familiares necessários para reduzir os conflitos e gerar uma integração mais harmônica, produtiva e feliz.
É uma luta para toda a vida onde nós país temos um papel muito importante  para a mesma ser vencida.

Deixar tudo para trás!

Há dias que apetece sair pela porta e deixar tudo para trás. Levar apenas a roupa do corpo.Sair sem olhar para trás.Não por ser infeliz ou por falta de amor.Cansaço!Cansaço! E mais cansaço!Três miúdos,uma casa,um trabalho e ainda a hiperatividade e o Asperger.E eu sou uma!Sei que quem mora ao meu lado deve pensar que me transformou em três ou quatro mas não.Eu sou uma! Apenas uma!E quando me tento desligar disso tudo sinto me vazia.Sou dependente desta vida!Preciso do barulho e da confusão para ser feliz.Sem a mesma sinto me ressacada,como um depende de drogas.Eu sou dependente dos meus filhos e de tudo que isso implica.Mas às vezes gostaria de sair e desligar apenas para descansar...Aí que isto de ser mãe é tão contraditório!!!

Quando o cansaço vence!

Depois de mais de uma daquelas birras em que acabo por ficar exausta pego dele e cama.Um bom sono acalma qualquer birra e cá entre nós o sono foi o culpado da mesma.Chego a cama e não me lembro de mais nada.Não sei quem adormeceu primeiro.Mas pela disposição do senhor Martim cheira me que nem dormiu.Alguma coisa me diz que apenas eu dormi e que alguém hoje está num dia não.Uma coisa é certa eu tenho as energias recarregadas.

Odeio ser mãe!

Eu odeio ser mãe! Eu odeio ser mãe e não conseguir proteger o meu filho.Eu odeio ser mãe e ter de de encher o meu filho de medicamentos,e ele é tão pequeno. Que crueldade!Eu odeio ser mãe e viver na dúvida do futuro do meu filho.Eu odeio ser mãe e não ter tido a chance de escolher ter  problemas em vez dele.Eu odeio ser mãe e ver as crueldades que são feitas com crianças especiais.Eu odeio ser mãe e ver mães a maltratar crianças,muitas delas especiais.Eu odeio ser mãe e não ouvir o meu filho a falar como um menino da idade dele.Eu odeio ser mãe e ver crianças com a idade do meu filho a fazer coisas que ele não faz e pode nunca o fazer.Sim eu odeio ser essa mãe que mesmo com todo sofrimento, a única coisa que quer é lutar pelo seu filho.Eu odeio ser mãe e ver o meu filho a sofrer.Eu odeio ser mãe mas ao mesmo tempo sou apaixonada por esse meu papel.Sou fascinada por ser mãe mesmo que às vezes não goste de o ser!

Que acompanhamento​ deve ter um Asperger?

Asperger è uma síndrome muito heterogenia, cada paciente é de um jeito e estará envolto em um contexto familiar, escolar e social específico. Por isso todo o tratamento deve ser individualizado, deve ser personalizado para a demanda daquele indivíduo e daquela fase. Pode ser necessário medicamentos em algum momento, visando o controle de determinado sintoma disfuncional, terapia ocupacional, fisioterapia, métodos comportamentais, psicólogo, etc. Tudo dependerá da funcionalidade vivenciada no caso específico. Muitas pessoas com síndrome de Asperger não recebem sequer diagnóstico durante a vida, passam como excêntricos, pessoas um pouco diferentes, as vezes até com destaque importante em algum ramo de atuação. Outros, recebem o diagnósticos mas não precisam de grandes intervenções clínicas ou psíquicas, pois desenvolveram técnicas de convívio e minimização dos comportamentos disfuncionais espontaneamente. Agora, tem aqueles que necessitaram de terapias específicas, esforço familiar, pe…

Asperger o sindrome dos "gênios"!

A Síndrome de Asperger é uma dificuldade do “cérebro social” com dificuldade em perceber e interagir com o outro de forma tradicional,  aliada à manutenção da capacidade de linguagem, mesmo que com pequenas peculiaridades e, eventualmente, um talento cerebral diferenciado para uma ou várias funções cognitivas. Não é raro eles possuem talentos precoces e fantásticos em áreas como: memória (hipermnésia), cálculos, desenho, música, determinado jogo ou desporto etc. Esse talento deve ser, no entanto aproveitado para gerar feitos proporcionais ao seu potencial.


Ha vários artistas com asperger e prometo que irei falar nisso noutro post.

Contem me se lá em casa ha um pequeno genio.Quero. Saber tudo!

A diferença entre o Autismo e a Síndrome de asperger

Atualmente, entendemos o Asperger como dentro de um grande espectro do Autismo. Mesmo sendo diferente do autismo clássico, por não presentar atraso intelectual e ter um bom domínio da linguagem,  eles se aproximam na franca dificuldade de interação interpessoal, na intolerância a ambientes estranhos e no apego às rotinas com restrição da área de interesse. Trata-se possivelmente de intensidades diferentes de um mesmo processo, por isso o conceito de espectro, tendo de um lado o alto funcionamento, de outro o franco comprometimento da forma clássica, e no meio, infinitas possibilidades clínicas de formas intermediárias.
Muitas vez as pessoas confundem os dois diagnosticados por isso devera ser feito por um bom médico e por uma boa avaliação.

Sindrome de asperger as causas

A causa exata da Síndrome de Asperger, assim como do Transtorno do Espectro do Autismo, ainda não é conhecida. Os cientistas, por outro lado, acreditam que uma anormalidade no cérebro das crianças portadoras seja a causa mais provável. Outras doenças, como depressão e transtorno bipolar, também podem estar relacionados à Síndrome de Asperger e ao Transtorno do Espectro Autista. Ao contrário do que algumas pessoas costumam pensar, a Síndrome de Asperger não é causada pela privação emocional ou por uma forma específica que nos pais educamos os nossos filhos.

Ai Martim #2

Sabado a noite e resolvemos montar o quarto do Martim. Esperar pelo dia seguinte poderia fazer parte dos mas não.

O quarto tinha de ficar pronto naquele momento,antes que o coração conseguisse mudar a nossa decisão.

Quarto montado,arruma se tudo o que se andou a comprar durante anos para o tão esperado quarto.

Ficou prefeito,tudo cheio de amor e dedicação.

Primeira noite correu bem e as que se seguiram melhor ainda.

Faz hoje três semanas que o Martim dorme sozinho e que bem que dorme.

-Este miúdo surpreende nos e nos deixa de coração cheio-

Eu,ele e um asperger

A chegada de um filho é uma etapa
 muito importante para um casal e muitas vezes a relação é mesmo posta a prova.
As prioridades mudam em função aquele "ser" .
Mas quando esse pequeno "ser" é especial as coisas podem mesmo tornar-se um pouco complicadas.

No nosso caso as coisas foram mesmo muito complicadas,não por minha culpa ou dele mas sim por falhas dos dois.

A doença do Martim fez com que tivéssemos de tomar decisões que nos afastaram,mas que nós ajudavam no dia a dia para que as coisas fossem pacíficas.

Uma deles foi o Martim dormir na nossa cama,era a única forma de conseguirmos dormir e muitas vezes acabava com o pai no sofá.

Muitas vezes a discussões surgiam ai pois não tinhamos nem cinco minutos do dia "só nossos". O Martim,a hiperactividade e o asperger estavam sempre com nós.

Desde sempre que sou eu que vou as consultas e depois contava tudo ao pai que achava que eu estava a fazer um filme e que o menino só tinha aquele atraso de desenvolvim…

Ai Martim #1

A hora de jantar nunca é uma hora muito fácil,se é massa querem arroz, esta muito quente ou tem alguma coisa que não gostam. Nunca está nada ao gosto deles.

Há sempre uma na ponta da língua.

Hoje enquanto jantava o Martim largou a colher e começou a chorar.

Eu: Que foi tim?
Tim: Doi a barriga.
Eu: Ok Martim mas então já que estás doente vais dormir e já não vês televisão nem jogas.
Tim: Enganei te mamã !!!

E come tudo como se não houvesse amanhã.

-Ai que este puto é pequeno mas já a sabe toda-