Avançar para o conteúdo principal

Hereditariedade

Os genes não são responsáveis pelo transtorno em si, mas por uma predisposição ao TDAH. A participação de genes começou a ser considerada, inicialmente, a partir de observações de que as famílias de portadores tinham parentes também afetados, aparecendo de forma mais frequente do que em famílias que não tinham crianças com o déficit. O predomínio da doença entre os parentes é cerca de 2 a 10 vezes mais do que na população em geral – isto é chamado de recorrência familiar.

Outros tipos de estudos genéticos foram fundamentais para se ter certeza da participação de genes: os estudos com gêmeos e com adotados. Nas situações com adotados comparam-se pais biológicos e pais adotivos de crianças afetadas, verificando se há diferença na presença entre os dois grupos. Eles mostraram que os pais biológicos têm três vezes mais TDAH que os pais adotivos.

Os estudos com gêmeos compararam univitelinos e fraternos (bivitelinos), quanto a diferentes aspectos do transtorno (presença ou não, tipo e gravidade). Sabendo-se que os gêmeos univitelinos tem 100% de semelhança genética, ao contrário dos fraternos (50%) e se neles aparecem mais os sintomas de TDAH do que nos fraternos, a única explicação é a participação de componentes genéticos, pois os pais são iguais, o ambiente e a dieta são os mesmos e assim por diante. Quanto mais parecidos, ou seja, quanto mais concordam em relação àquelas características, maior é a influência genética para a doença, o que evidencia uma importante participação de genes na origem do TAAH.

É importante saber que no Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, assim como na maioria dos transtornos do comportamento, em geral multifatoriais, nunca se deve falar em determinação genética, mas sim em predisposição ou influência genética. O que acontece é que a predisposição envolve vários genes, e não um único – como é regra para várias características físicas. Além disso, genes podem ter diferentes níveis de atividade, alguns podem estar agindo em alguns pacientes de um modo diferente que em outros. Eles interagem entre si, somando-se ainda as influências ambientais. Também existe maior incidência de depressão, transtorno bipolar e abuso de álcool e drogas nos familiares de portadores de TDAH.





Fonte: 100% Saúde Especial – Ano 3 – Nº 6 – 2014 – Editora Alto Astral / Por: Isabelle Hoffman / Larissa Tomazini / Amanda Araújo / Rose Araujo e Adriano Vannini

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Carta a senhora que chamou o meu filho de atrasado mental!

Olá. Sei que não nos conhecemos bem, mas o meu filho Martim chamou a sua atenção enquanto saltava entre as cadeiras e falava alto . Eu reparei que ficou a olhar de lado e até o chamou de mal educado.
Eu também sei que fez tudo para que me senti se mal, até chegar ao ponto de me chamar de má mãe e o meu filho de atrasado mental.
Eu quero que saiba que as suas palavras e os seus olhares não me afectaram e na verdade até me dão mais força.

Na verdade eu até a entendo pois é tão bonito ver uma sala de um serviço de psiquiatria com meninos completamente drogados encostados as mães, sim pelo menos há silêncio para continuar a ler a sua revista sem  ser incomodada.

Lamento não ter perdido dois minutos para entender que o que estava ali a passar com o meu filho seria porque ele tem algum problema, tal vez por medo ou até por vergonha mas devia o ter feito.

Mas eu explico lhe agora o Martim é hiperativo e sim também tem um atraso de desenvolvimento que lhe afecta a fala mas não é por isso que …

A alimentação de um asperger

Normalmente alimentar uma criança com asperger é mais luta diária que nós pais enfrentamos, pois geralmente têm dificuldade quando se trata de comer uma variedade de alimentos. Texturas e cheiros desempenham um papel importante devido a questões sensoriais que experimentam. Além disso, ter muitas opções vai contra o que é confortável para essas crianças. Encontrar um equilíbrio é complicado e trabalhoso.
E normalmente tem problemas sensoriais que podem impedi-lo de registrar os sentimentos de fome, por isso nunca se pode contar com a fome do deles para motivá-los a comer.
As  tentativas de alterar a dieta, abitos ou objectos das refeições têm de se fazer com muita calma. O sucesso pode vir lentamente, mas o objetivo final é melhorar a alimentação e não abrir mais um guerra. Cada pequena vitória lhe trará um passo mais perto do resultado desejado.

O Martim em relação a alimentos novos não tem grandes problemas mas sim com os objetos para a mesma. .
Queria sempre comer no mesmo prato e …

Passatempo kit Coffret Musti - Mustela

Cá em casa a Mustela marca presença diária na rotina dos meus filhos, desde do creme hidratante à água de colónia.

E hoje é dela que vos vou falar. 
  A Eau de Soin Musti é uma água de colónia sem álcool, com extratos de mirtilo e de tília e com um delicioso perfume envolvente e suave, elevada tolerância e hipoalergénica. Deixando um aroma maravilhoso "a bebé"  que nos aquece o coração. 
Em parceria com a Mustela tenho para oferecer um kit Coffret Musti.
Um presente muito fofinho para os mais pequenos,já a pensar no natal.




É muito simples participar:

-Fazer GOSTO na pagina do Facebook do blog.
Www. m.facebook.com/maeporumfio/?ref=bookmarks

-Fazer GOSTO na pagina do Facebook da Mustela. Www. m.facebook.com/mustelaportugal/

-Partilhar e comentar identificado dois amigos o post do passatempo no Facebook.

-Seguir o blog Www.maeporumfio.blogspot.pt


Cada pessoa só pode participar uma vez até ao dia 1 de Dezembro..

Boa sorte!!!