Avançar para o conteúdo principal

Intolerância a lactose

Hoje venho falar de Intolerância a Lactose, foi me diagnosticado a pouco mais de seis anos e os meus meninos foram intolerantes(passou a todos com 2 anos mas ainda temos alguns cuidados).

A intolerância a lactose manifesta-se após o consumo de leite ou de derivados do leite, e manifesta-se com cólicas, diarreias, flatulência, etc.
Basicamente a intolerância à lactose deve-se à falha de produção de um enzima digestivo (lactase) que degrada a lactose (um açúcar presente no leite). Essa falha faz com que a lactose não seja degradada e vai acumular-se no intestino servindo de alimento às bactérias da flora intestinal (fermentação). Deste modo as bactérias produzem muito gás (flatulência) e alteram o equilíbrio osmótico originando as diarreias e cólicas intestinais.

A intolerância à lactose pode ser genética, a qual se manifesta logo em recém nascidos, ou pode ser adquirida progressivamente à medida que se avança na idade... Para quem têm este problema, a solução passa por simplesmente não ingerir leite ou derivados.

No meu caso não foi complicada a mudança pois ja não bebia muito leite nem sou adepta de manteigas e queijos.
E hoje em dia ha várias marcas com produtos "sem leite"  e muitas delas de alta qualidade e quase não se nota diferença.

O meu organismo passou a ser mais certo, a minha pele que é atopica passou a estar melhor e acima de tudo passei conseguir tomar pequeno almoço, anteriormente era um pesadelo pois ficava inchada e com um mau estar horrível.
A diferença é notória!

E por ai há quem tambem seja intolerante?

Em breve venho vos falar dos meus produtos favoritos e das minha receitas fiquem atentos.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

A alimentação de um asperger

Normalmente alimentar uma criança com asperger é mais luta diária que nós pais enfrentamos, pois geralmente têm dificuldade quando se trata de comer uma variedade de alimentos. Texturas e cheiros desempenham um papel importante devido a questões sensoriais que experimentam. Além disso, ter muitas opções vai contra o que é confortável para essas crianças. Encontrar um equilíbrio é complicado e trabalhoso.
E normalmente tem problemas sensoriais que podem impedi-lo de registrar os sentimentos de fome, por isso nunca se pode contar com a fome do deles para motivá-los a comer.
As  tentativas de alterar a dieta, abitos ou objectos das refeições têm de se fazer com muita calma. O sucesso pode vir lentamente, mas o objetivo final é melhorar a alimentação e não abrir mais um guerra. Cada pequena vitória lhe trará um passo mais perto do resultado desejado.

O Martim em relação a alimentos novos não tem grandes problemas mas sim com os objetos para a mesma. .
Queria sempre comer no mesmo prato e …

Alguma vez pensou como são escolhidas as mães de meninos especiais???

Recebi hoje um e-mail de uma leitora. Quando o li emocionei-me e pensei em todas as mães "especiais". Obrigada pela partilha! Tinha de o  partilhar convosco.
Este texto é para todas nós.

“Alguma vez pensou como Deus escolhe as mães das crianças especiais?

Eu já… Uma vez vi Deus a pairar sobre a Terra, selecionando o seu instrumento de propagação com grande carinho (…). Enquanto observava, instruía os seus Anjos a tomarem nota num grande livro:

– Para a Beth, um menino. Anjo da Guarda, Matheus.

– Para a Miriam, uma menina. Anjo da Guarda, Cecília.

– Para a Regina, gêmeos. Anjo da Guarda Geraldo, ele já está habituado. Finalmente, Ele passa um nome para o Anjo, sorri e diz:

– Dê a esta mãe uma criança deficiente. O Anjo, cheio de curiosidade, pergunta:

– Porquê ela, Senhor? Ela é tão alegre!

– Exatamente por isso, diz Ele. Como poderia eu dar uma criança a uma mãe que não sabe o valor de um sorriso? Seria cruel…

– Mas será que ela vai ter paciência?

– Eu não quero que ela tenh…

Hiperatividade e omega3

Quando me deparei com o diagnóstico do Martim de hiperativo que andei feita barata tonta a procura de respostas e tratamentos.
A pediatra recomendou dar-lhe ómega 3(como ja vos contei noutro post).
E graças a deus os resultados têm sido muito positivos.
Por isso mesmo resolvi partilhar com vocês a informação que me foi dada pela pediatra, para que vos ajude tambem a vocês. 

"Déficit de atenção/hiperatividade (ADHD) e omega3:

Crianças com déficit de atenção/hiperatividade (ADHD) podem ter baixos níveis de ácidos graxos essenciais (incluindo EPA e DHA) no organismo. Estudos com aproximadamente 100 meninos mostraram que aqueles com níveis mais baixos de ômega-3, apresentaram mais problemas de aprendizado e comportamento (como temperamento variável e distúrbios do sono), do que meninos com níveis normais de ômega-3. Em estudos animais, baixos níveis de ômega-3 mostraram uma concentração mais baixa de certos neuroreceptores cerebrais (como a dopamina e a serotonina) relacionados com a…