Avançar para o conteúdo principal

Electroencefalograma

Hoje como contei no Facebook o Martim hoje vai ter de fazer um EEG. Sabem o que é?


O Electroencefalograma (EEG) é um exame auxiliar de diagnóstico, não invasivo, que avalia a actividade eléctrica cerebral, através da diferença de potencial entre dois pontos no escalpe.

Ao realizar uma análise correcta dos sinais eléctricos cerebrais, torna-o importante no auxílio de diagnóstico de diversas patologias do foro cerebral.

Para que serve?
Associado a outro tipo de exames ajuda no diagnóstico de epilepsias, algumas cefaleias, dificuldades escolares ou atrasos intelectuais, depressões ou ansiedade, alterações de comportamento, défices cognitivos ou motores, sequelas de traumatismos cranianos ou de infecções meníngeas, perda de conhecimento, e demências.

É sobretudo utilizado em estudos de Epilepsia, cefaleias, e em patologias do sono, como hipersonolência diurna. Associado a sensores cardiorespiratórios faz uma melhor caracterização dos quadros de apneias que fragmentam o sono, e perturbações intrinsecas do sono como a Narcolepsia.

Normalmente, no estudo da Epilepsia, os doentes são Monitorizados com Video-EEG, isto é, realizam um electroencefalograma mas com registo de Video, assim permite estabelecer conexão entre as alterações eléctricas do encéfalo e as manifestações clínicas.

Como é realizado o exame?
O paciente fica deitado numa marquesa.

Durante a preparação são limpos uns pontos estratégicos, homologados Internacionalmente no couro cabeludo onde são colocados eléctrodos de disco com uma pasta condutora.

Ao iniciar o exame, a actividade cerebral é captada pelos eléctrodos, registada no computador, e analisada mais tarde por um profissional de saúde capacitado para tal.

Este exame requer provas de activação, ou seja, certos “exercícios” realizados durante o exame pelo paciente que podem alterar a actividade cerebral e mostra-las no registo. As provas de rotina são a Hiperpneia (HPP), uma prova de respiração de 3 minutos, e a Estimulação Luminosa Intermitente (ELI), que é um conjunto de flashs de frequência variável. Além destas, existem outras como por exemplo a prova de sono.


Comentários

  1. Ola:) Adorooo o post:)
    Novo
    http://openklosetfashion.blogspot.pt/2016/09/new-sundays-brunch-with-pool-access-at.html#disqus_thread

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A alimentação de um asperger

Normalmente alimentar uma criança com asperger é mais luta diária que nós pais enfrentamos, pois geralmente têm dificuldade quando se trata de comer uma variedade de alimentos. Texturas e cheiros desempenham um papel importante devido a questões sensoriais que experimentam. Além disso, ter muitas opções vai contra o que é confortável para essas crianças. Encontrar um equilíbrio é complicado e trabalhoso.
E normalmente tem problemas sensoriais que podem impedi-lo de registrar os sentimentos de fome, por isso nunca se pode contar com a fome do deles para motivá-los a comer.
As  tentativas de alterar a dieta, abitos ou objectos das refeições têm de se fazer com muita calma. O sucesso pode vir lentamente, mas o objetivo final é melhorar a alimentação e não abrir mais um guerra. Cada pequena vitória lhe trará um passo mais perto do resultado desejado.

O Martim em relação a alimentos novos não tem grandes problemas mas sim com os objetos para a mesma. .
Queria sempre comer no mesmo prato e …

Alguma vez pensou como são escolhidas as mães de meninos especiais???

Recebi hoje um e-mail de uma leitora. Quando o li emocionei-me e pensei em todas as mães "especiais". Obrigada pela partilha! Tinha de o  partilhar convosco.
Este texto é para todas nós.

“Alguma vez pensou como Deus escolhe as mães das crianças especiais?

Eu já… Uma vez vi Deus a pairar sobre a Terra, selecionando o seu instrumento de propagação com grande carinho (…). Enquanto observava, instruía os seus Anjos a tomarem nota num grande livro:

– Para a Beth, um menino. Anjo da Guarda, Matheus.

– Para a Miriam, uma menina. Anjo da Guarda, Cecília.

– Para a Regina, gêmeos. Anjo da Guarda Geraldo, ele já está habituado. Finalmente, Ele passa um nome para o Anjo, sorri e diz:

– Dê a esta mãe uma criança deficiente. O Anjo, cheio de curiosidade, pergunta:

– Porquê ela, Senhor? Ela é tão alegre!

– Exatamente por isso, diz Ele. Como poderia eu dar uma criança a uma mãe que não sabe o valor de um sorriso? Seria cruel…

– Mas será que ela vai ter paciência?

– Eu não quero que ela tenh…

Hiperatividade e omega3

Quando me deparei com o diagnóstico do Martim de hiperativo que andei feita barata tonta a procura de respostas e tratamentos.
A pediatra recomendou dar-lhe ómega 3(como ja vos contei noutro post).
E graças a deus os resultados têm sido muito positivos.
Por isso mesmo resolvi partilhar com vocês a informação que me foi dada pela pediatra, para que vos ajude tambem a vocês. 

"Déficit de atenção/hiperatividade (ADHD) e omega3:

Crianças com déficit de atenção/hiperatividade (ADHD) podem ter baixos níveis de ácidos graxos essenciais (incluindo EPA e DHA) no organismo. Estudos com aproximadamente 100 meninos mostraram que aqueles com níveis mais baixos de ômega-3, apresentaram mais problemas de aprendizado e comportamento (como temperamento variável e distúrbios do sono), do que meninos com níveis normais de ômega-3. Em estudos animais, baixos níveis de ômega-3 mostraram uma concentração mais baixa de certos neuroreceptores cerebrais (como a dopamina e a serotonina) relacionados com a…