Avançar para o conteúdo principal

Eu é que mando!!

Ola!!
Esta semana deparei me com uma situação que deu que pensar, O Martim toma risperidona 3 vezes por dia mas eu ao fim de semana NÃO DOU. Sim leram bem eu não dou a medicação ao fim de semana.
 Foi por decisão minha,a medica primeiro não gostou da ideia mas agora concorda comigo.
Ele tem 4 anos e é muito cedo para começar a estar dependente de medicação, assim ao fim de semana ele esta completamente igual a si mesmo( sim é complicado ) mas eu penso que é importante para ele.
E na segunda depois de 3 dias em casa sem medicação o Martim parecia um tolinho depois de a tomar. Estarei eu a fazer bem?? humhum eu penso que sim mas será que devo estar tantos dias sem dar?? Nao sei não mas como sou eu que mando ele vai apenas continuar a tomar só em dias de escola.
E vocês como fazem??
Beijinhos e ate ja!!!

Comentários

  1. Acho que faz muito bem! Ele não pode levar a vida inteira a tomar isso...assim ele vai aprendendo a lidar com ele próprio. Não se vai arrepender! E 3X por dia não será muito? É só uma pergunta, acredito que seja a mãe que o conhece melhor e saiba o que é melhor para o Martim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola!!
      Obrigado pelo comentário.
      O Tim faz 0,25 de manha,a tarde e a noite.Faz a doce pequena ainda dividida por 3 tomas. Sem duvidas que por ele farei o melhor. beijinhos grandes

      Eliminar
  2. Portanto, decidiu brincar com a saúde do seu filho e parar uma medicação que pode ter implicações sérias sem falar com um pedopsiquiatra competente e sem fazer o devido desmame?
    Desculpe mas eu sinceramente não acho que isso seja motivo de orgulho.

    A medicação psiquiatrica tem de ser prescrita por um médico competente e o acompanhamento também tem de ser realizado por um médico competente. Da mesma forma o desmame não pode ocorrer só porque nos apetece.

    Pode ter corrido bem mas poderia ter corrido muito mal. Antes de optar seja pelo que for deveria ter falado com o médico e dito a sua intenção. E é claro qeu as oscilações de comportamento entre toma-paragem-toma, são mais do que evidentes, estava praticamente a brincar aos médicos e à auto-medicação.

    Quanto ao caso em si depende de muita coisa, aos 4 anos parece-me cedo demais para ter o diagnóstico tão vinculado (isso foi diagnosticado por quem de direito?), é que por norma não se fazem diagnósticos de PHDA antes da entrada para a primária por motivos óbvios. Por outro lado, se o seu filho tiver tantos comportamentos já tão evidentes não sei como não são reencaminhados para um programa para que vocês (pais) tenham orientações para lidar com ele de modo a tentar minimizar todos os potenciais da PHDA e adiar a medicação. Se já foi tudo feito e nada resulta... se já é assim com 4 anos então terá certamente todos os indicios para estar medicado (e é importante relembrar que a criança com PHDA sofre com a impulsividade e a incapacidade para se controlar...).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia. Antes de mais obrigado pelo comentário.
      Como eu digo no post "a medica primeiro não gostou da ideia mas agora concorda comigo" por tanto eu não o fiz assim a toa. Nem pedi opinião a um sapateiro mas sim a medica que segue o Martim. O único senão dado por ela era o MEU CANSAÇO FÍSICO E MENTAL pois o Martim sem medicação é complicado de lidar. E já o faço a uns anos e ate agora só vejo bons resultados.
      Antes de o fazer falei com outras mães e muitas crianças tal como ele não fazem medicação ao fim de semana ou nas ferias( andam assim tantas mães a brincar com a saúde dos filhos?? penso que não).

      Em relação a ele ser ou não PHDA leia(https://maeporumfio.blogspot.pt/2016/05/martim.html)
      Penso que o Martim esta a ser muito bem acompanhado,muitos meninos nem metade do acompanhamento dele tem.Por isso penso que não me deve de acusar de ser brincar com a saúde .

      O Martim toma risperidona não porque um dia acordei com essa ideia e la fui a farmácia comprar como se comprar um remédio para a dor de dentes,o Martim toma porque foi passado pela pedopsiquiatra.

      O Martim não é um brinquedo por isso nunca irei brincar com a saúde dele!!!

      Obrigado pelo comentário e beijinhos

      Eliminar
  3. Bom dia. Eu tambem perguntei ao neuropediatra do meu Dr Lobo Antunes se poderia parar a medicacao ( abilify e concerta) nas ferias. Ele nao concordou. Ele descompensa. Fica uma pilha, extrema ansiedade e agresividade por descompensacao. Quero o melhor claro mas conhecimentos tem o medico.se lge prejudica o comportamento e convivio com terceiros no centro de estudos dou abilify dia s dia n. E o concerta O Tiago tem 11 anos PHDA Asperger e sindrome de ansiedade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OLA!
      Antes de mais obrigado pelo comentário.
      O Martim so faz risperidona mais nada. e a única mudança que vemos é que quando não toma esta mais mexido. Claro que se nota-se outras coisas já tinha parado com esta ideia. É bom ter outras opiniões obrigado minha linda .. beijinhos

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Queridos leitores!

Queridos leitores
Infelizmente, estou a passar uma das piores provações que uma mãe e mulher pode passar.
Perdi o meu Amor, e os meus filhos perderam o pai.
Não sei quando retomarei a atividade normal do blogue. Peço desculpa a todas as marcas que me apoiam, a todas as pessoas que me seguem, mas este, para além de um momento de profunda dor, é um momento de muita luta. Nunca fui rica, no entanto, neste momento sou a única fonte de rendimento dos meus filhos. O trabalho, a burocracia relativas ao acidente do meu amor e os meus filhos têm me ocupado todo o meu tempo.
Peço que agora, mais que nunca, não deixem de acreditar em mim. Quero muito voltar, mas ainda não estou preparada.
Com amor,
Mónica

Perdi.....

Mais um vez fui posta a prova,mas desta vez o desafio supera todas as minhas forças. Perdi o meu amor,o meu grande amor,o pai dos meus filhos, o homem a quem prometi ser a melhor mãe do mundo.
Perdi tudo!
Não fui avisada nem tive tempo de me despedir, foi tudo rápido de mais.
Sem qualquer tipo de preparação fiquei sem chão, e honestamente não sei se estarei a altura deste desafio.
É dos sentimentos mais cruéis e duros que já senti na vida!
Só queria acordar e constatar que isto não passava de um pesadelo e que o meu amor estava vivo.
Mas infelizmente isso não irá acontecer,terei de arranjar forças vindas não sei de onde e continuar a vida.
Se será fácil? Não, claro que não nas terei de o ser pelos meus filhos  .
E não ne venham dizer que passa pois nunca irá passar,passava se fosse uma dor de barriga, mas não o é!!!
Perdi o meu amor, o meu grande amor!!!

Alguma vez pensou como são escolhidas as mães de meninos especiais???

Recebi hoje um e-mail de uma leitora. Quando o li emocionei-me e pensei em todas as mães "especiais". Obrigada pela partilha! Tinha de o  partilhar convosco.
Este texto é para todas nós.

“Alguma vez pensou como Deus escolhe as mães das crianças especiais?

Eu já… Uma vez vi Deus a pairar sobre a Terra, selecionando o seu instrumento de propagação com grande carinho (…). Enquanto observava, instruía os seus Anjos a tomarem nota num grande livro:

– Para a Beth, um menino. Anjo da Guarda, Matheus.

– Para a Miriam, uma menina. Anjo da Guarda, Cecília.

– Para a Regina, gêmeos. Anjo da Guarda Geraldo, ele já está habituado. Finalmente, Ele passa um nome para o Anjo, sorri e diz:

– Dê a esta mãe uma criança deficiente. O Anjo, cheio de curiosidade, pergunta:

– Porquê ela, Senhor? Ela é tão alegre!

– Exatamente por isso, diz Ele. Como poderia eu dar uma criança a uma mãe que não sabe o valor de um sorriso? Seria cruel…

– Mas será que ela vai ter paciência?

– Eu não quero que ela tenh…