Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

As vezes dou meia volta e desapareço!!

Estou a  aprender a ser  mais calma, mesmo naqueles momentos em que não é fácil respirar fundo e ignorar. Afinal nunca ninguém disse que a maternidade era fácil, nem que todos os dias eram calmos e sem confusão, pelo contrário toda a gente me avisou que a vida ia passar a ser uma verdadeira roda viva,mas nunca pensei que iam haver dias em que respirar e ter calma ia virar um tormento e que iria engolir as piores palavras do meu vocabulário, pois a rotina e o cansaço acumulado fazem com que a paciência seja menor, mesmo que a vontade seja grande, por isso nesses momentos aprendi a afastar-me(normalmente vou para o meu quarto ou para a casa de banho), para deixar que sejam eles que respirem e que cheguem sozinhos a conclusão que têm de ser acalmar e se comportar direito, sem birras, gritos ou correrias, nas primeiras vezes que usei esta forma de agir eles não entenderam o recado e as coisas só a acalmaram comigo a impor respeito de uma forma mais dura e rude(e que dor no peito senti naq…
Mensagens recentes

Todas nós apanhamos este vírus na gravidez, mas não damos conta!!!

Hoje vim falar de um assunto que demorei muito tempo a entender, mas depois de horas cheguei a conclusão que se segue.

Quando engravidamos, ou melhor quando sabemos que estamos grávidas começamos a ficar com os neurónios aos saltos, que fazem com que a nossa linguagem seja alterada de português para estupidez, e passamos a usar tudo o que é palavras acabadas em "inho" ou "inha", assim como gordinha, barriguinha, mãezinha, chupetinha, carrinho, entre outras quantas.
Quando a criança nasce a coisa piora e os neurónios passam a saltar e a trabalhar a meio gaz por isso começamos a usar meias palavras como xuxa, xixa, oh oh, popó, auau, miau, xau, peta, entre outra milhares que agora me falham.
Nessa altura a praga do "inho  e da" inha " pioram, e a lista aumenta a olhos vistos e passamos a ter diálogos estranhos assim como :

- Tim Tim quer sopinha?
- Olha o auau a papar xixa!
-Papa a sopinha senão vem o papão!
- Vamos beber leitinho e vamos para a nana.

Pintar o futuro de cinzento já não faz sentido!

Já faz um mês que o pequeno Martim deu entrada no primeiro ano. . Com a ida dele, chegaram as expectativa, e o desejo de que tudo fosse diferente daquilo que a nossa cabeça (minha e das respectivas terapeutas) idealizava, a vontade de modificar o que não não estava como queríamos, a ânsia de o ver crescer e abraçar todos os planos e desafios que está etapa trazia era o que mais desejávamos . Hoje aproveitamos a oportunidade de termos falado ao telefone para fazer um balanço, balanço esse que nos irá ajudar a desenvolver novas ideias para que o caminho seja ainda melhor e mais próximo daquilo que esperamos . Mas acima de tudo o balanço é bastante positivo e supera as nossas expectativas, ele tem sido um verdadeiro sucesso, pois neste momento ainda não tem apoios e mesmo assim está no mesmo nivel dos seus colegas de turma. E este mesmo trouxe-me esperança de que tudo será melhor e mais fácil do que aquilo que eu pensei  assim como o seu futuro será muito mais sólido e vantajoso do que aq…

Menina-teimosa

Luana a minha menina meiga, cheia de vida e teimosa, que veio dar mais cor à minha vida e me veio ensinar a ser mãe, a ser quem sou. Mas como menina-teimosa que é ,insiste em desentortar os caminhos. Em construir castelos sem pensar nos ventos. Em procurar verdades enquanto elas tentam não ser a sua maneira, ao seu jeito. Mas depois ateima sempre em manter o sorriso no rosto, sem perder a vontade de ser a menina rebelde que ao mesmo tempo é a menina mais doce.  Sem se preocupar se a próxima etapa será o tombo ou o voo. Ela como menina-teimosa que é sabe que vai lá estar seja para cair ou para voar e se tornar numa borboleta...

Parafusos aparafusados direitinho

Sempre fui muito criança, apesar de ser mãe e nesse papel sempre fui muito responsável mas ainda estava muito verde como pessoa, acreditava em tudo e todos e deixava que qualquer pessoa fizesse tudo o que queria de mim, mas com a morte do Luís as coisas mudaram pois deixei de me sentir protegida e não tive outra solução a não ser crescer e ganhar a maturidade que me faltava. 
 Maturidade essa (em outras palavras: com os parafusos aparafusados direitinho), que nos deixa começar a perceber o que merece e o que não merece a nossa atenção. Isso vale para coisas, pessoas, ideias, sentimentos. Tem coisa que não vale um minuto perdido que merecem desprezo e que não valem nem uma dor de cabeça . Outras tantas valem um milhão, que merecem tempo e luta.
Essa maturidade também me fez ficar surda, mas num estado grave, só tenho ouvidos para aquilo que quero e que me convém, sejam criticas ou coisas boas, mas sou as ouso de quem quero, assim como aprendi a desligar me e dar ao desprezo, não me entre…

Nem sei que dizer...

...na verdade nem há palavras para defenir este amor, agradeço todos os dias por estes pequenos seres humanos que me fazem ser quem sou!!


















Tivemos de mudar a rotina!!!

Sei que tenho andado muito ausente daqui do blog, mas tudo isso por causa das mudanças de rotina que houveram cá em casa, e é dessas mudança que vos venho falar hoje.

Como vocês sabem o pequeno Martim entrou para a escola primária e com essa nova etapa vieram muitas mudanças, umas mais fáceis dele entender do que outras, mas com calma e dedicação tudo se têm conseguido.

Anteriormente ficava a dormir e a senhora que os entrega é que o vestia mas agora é ele que se veste sozinho, assim como toma o leitinho e os remédios e depois vai para o meu quarto ver televisão ao a carrinha chegar.

Outra mudança foi a responsabilidade pela mochila e pelo seu lanche que no infantário não tinha, pois o lanche era servido para todos iguais e agora somos os dois a escolher o que leva diariamente.

No infantário era só brincadeira mas agora as coisas são diferentes por isso também tivemos de mudar o horário para se deitar para que descanse o necessário para que o cansaço não acumular e que não se vá a ba…